Posso perde uma batalha, mas não desisto da luta


Quem puder, clique em um dos anúcios que aparecem abaixo das postagem, ou na lateral do blog, não é preciso comprar nada, mas só o fato de clicar já ajuda o blog a manter as atividades. Obrigado pela visita, baixe os CDs, e curta as músicas, muito obrigado mesmo.

Forte abraço

DJ Dejota



domingo, 28 de fevereiro de 2021

The Reggae Ladies - 2021 (CD duplo)

Reggae é um gênero musical desenvolvido originalmente na Jamaica do fim da década de 1960. No Brasil, é um ritmo predominante no estado do Maranhão. Embora por vezes seja usado num sentido mais amplo para se referir à maior parte dos tipos de música jamaicana, o termo reggae indica mais especificamente um tipo particular de música que se originou do desenvolvimento do ska e do rocksteady.

O reggae baseia-se num estilo rítmico caracterizado pela acentuação no tempo fraco, conhecido como skank. O estilo normalmente é mais lento que o ska e o rocksteady, e seus compassos normalmente são acentuados na segunda e na quarta batida, com a guitarra base servindo ou para enfatizar a terceira batida, ou para segurar o acorde da segunda até que o quarto seja tocado. É principalmente essa "terceira batida", sua velocidade e o uso de linhas de baixo complexas que diferencia o reggae do rocksteady, embora estilos posteriores tenham incorporado estas inovações de maneira independente.
O cantor e compositor Bob Marley é o ícone deste estilo musica. Fonte Wikipedia

Eu sou grande apreciador desse som, e para homenagiar as mulheres que cantam reggae, fiz essa coletânea, assim como toda a arte das capas, com certeza será a primeira de muitas.

Quem puder, clique em um dos anúcios que aparecem abaixo das postagem, ou na lateral do blog, não é preciso comprar nada, mas só o fato de clicar já ajuda o blog a mater as atividades, trazendo sempre os melhores aquivos. Obrigado pela visita, baixe o CD, e curta as músicas. DJ Dejota.


Músicas destes CDs

01- Etana - Love Song
02- Fiona - Every Little Bit Hurts
03- Reemah - Crowns Up On Your Head
04- Tanya Stephens - Good Man - (featuring Don Yute)
05- Etana - People Talk
06- Fiona - I'm In love
07- Reemah - Don't Want Nothing
08- Tanya Stephens - Lying lips (Words I should have said)
09- Etana - Reggae
10- Fiona - Natural Woman
11- Reemah - Give Thanks Everyday
12- Tanya Stephens - This Is Love
13- Etana- I Am Not Afraid
14- Fiona - When Will I See You Again
15- Reemah - War
16- Tanya Stephens - What's Your Story

Other ladies

17- Lauryn Hill & Bob Marley- Turn Your Lights Down Low
18- Tracy Chapman - Three Little Birds
19- Queen Latifah - Who The Cap Fit
20- Lauryn Hill & Ziggy Marley - Redemption Song

sábado, 27 de fevereiro de 2021

Paulinho da Viola - 1968

Filho mais velho do violonista Benedicto Cesar Ramos de Faria, integrante da primeira formação do grupo de choro Época de Ouro, Paulinho da Viola nasceu no bairro de Botafogo em 1942 e desde pequeno gostava de ouvir choros e sambas. Assim, teve a oportunidade de conviver com grandes chorões da época, como Pixinguinha, Jacob do Bandolim e Dilermando Reis, entre outros, observando a maneira de tocar dos músicos.

Paulinho da Viola é o primeiro álbum de estúdio do sambista carioca Paulinho da Viola, lançado em 1968 pela gravadora Odeon.[1] Apresentou temas como "Sem ela eu não vou", "Coisas do mundo, minha nêga" além de interpretar canções de Cartola, como "Amor proibido" e "Vai, amigo" além de parcerias com Elton Medeiros e Hermínio Bello de Carvalho em "Samba do amor". O disco foi reeditado em 1996 para CD. Fonte Wikipedia


Músicas deste CD

01- Vai, amigo (Cartola)

02- Encontro (Paulinho da Viola)

03- Doce veneno (Carlos Lentine, Goulart, Valzinho)

04- Sem ela eu não vou (Paulinho da Viola)

05- Não te dói a consciência (A. Garcez, A. Monteiro, Nelson Silva)

06- Coisas do mundo, minha nega (Paulinho da Viola)

07- Batuqueiro (Candeia)

08- Amor proibido (Cartola)

09- A gente esquece (Paulinho da Viola)

10- Meu carnaval (Cacaso, Élton Medeiros)

11- Samba do amor (Élton Medeiros, Hermínio Bello de Carvalho, Paulinho da Viola)

12- Maria Sambamba (Casquinha)


Clique aqui ou nas capa para baixar

Rosa De Ouro Vol.1(1965) - Rosa De Ouro Vol.2 (1967)

 Clementina de Jesus e Aracy Cortes - Rosa de Ouro

Volume 1 (1965) e Volume 2 (1967)

Lançado como um 2 em 1 pela EMI em 1993

Percebi que estava faltando a faixa "Minha Vontade (Chatim)" no disco dois. Já foi arrumado. DJ Dejota

Um puquinho da história sobre a ROSA DE OURO

A 'Rosa de Ouro' foi uma produção teatral que nasceu da junção de cenas que borbulhavam em torno do clube de samba "Zicartola" (um empreendimento de curta duração de muito importante empreendimento de Cartola e sua esposa, Zica), e a Produção cênica realizada por Nara Leão, Zé Keti e João do Vale. Que eu saiba, não havia câmeras de documentário girando em torno desse caldeirão de criatividade, pelo menos nada na forma de um longa-metragem, e é uma pena. Tanta coisa acontecendo, tanta criatividade, e logo depois da recém-instituída 'revolução' militar (ditadura) que começou em abril de 1964.

Este espetáculo marcou a "descoberta" de Clementina de Jesus, sua primeira vez como destaque na mídia. Como você pode ver na xilogravura mostrada aqui, o pessoal é notavelmente semelhante ao Conjunto "Voz do Morro". Paulinho da Viola se limita ao papel de músico coadjuvante desses discos, contribuindo com apenas duas canções em ambos os discos, mas há muitos créditos de composição de Elton Medeiros, e o restante do repertório traz músicas de Ismael Silva, Cartola, Pixinguinha, Assis Valente, Jair Costa, Noel Rosa e Anescar, Geraldo Pereira, e uma série de sambas de domínio público / 'folclórico'. Há até uma música creditada a Heitor Villa-Lobos com Herminio Bello de Carvalho (o produtor da encenação). Não tenho certeza se essa composição foi criada especificamente para este show ou qual era o lance dessa música ... Fonte desconhecida

Quem puder, clique em um dos anúcios que aparecem abaixo das postagem, ou na lateral do blog, não é preciso comprar nada, mas só o fato de clicar já ajuda o blog a mater as atividades, trazendo sempre os melhores aquivos. Obrigado pela visita, baixe o CD, e curta as músicas. DJ Dejota.

Músicass deste CD

Rosa de Ouro 1

01- Rosa de Ouro (Élton Medeiros/Paulinho da Viola/Hermínio Bello de Carvalho)

Quatro Crioulos (Élton Medeiros/Joacyr Santana)

Dona Carola (Nelson Cavaquinho/Nourival Bahia/Walto Feitosa)

Pam, Pam, Pam (Paulo da Portela)

02- Senhora Rainha (Villa-Lobos/Hermínio Bello de Carvalho)

03- Linda Flor (Ai Ioiô) (Henrique Vogeler/Luis Peixoto/Marques Porto)

04- Os Rouxinóis (Lamartine Babo)

05- Jura (J. B. da Silva "Sinhô")

06- Escurinho (Geraldo Pereira)

Se Eu Pudesse (Germano Augusto/Zé da Zilda)

Nem É Bom Falar (Ismael Silva/Nilton Bastos/Francisco Alves)

07- Sobrado Dourado (Nelson Cavaquinho/César Brasil/Antônio Braga)

Clementina, Cadê Você? (Élton Medeiros)

Benguelê (Pixinguinha/Gastão Viana)

Boi Não Berra (Tradicional)

Siá Maria Rebôlo (Tradicional)

Maparaêma (Tradicional)

08- Nasceste de Uma Semente (José Ramos)

09- Bate Canela (Tradicional)

10- Semente do Samba (Hélio Cabral)

11- Rosa de Ouro (Élton Medeiros/Paulinho da Viola/Hermínio Bello de Carvalho)


Rosa de Ouro 2


01- E a Rosa Voltou (Jair do Cavaquinho)

Rosa de Ouro (Élton Medeiros/Paulinho da Viola/Hermínio Bello de Carvalho)

Quatro Crioulos (Élton Medeiros/Joacyr Santana)

Cântico à Natureza (Nelson Sargento/Alfredo Português/José Bispo ''Jamelão'')

02- Isso É Que É Viver (Pixinguinha/Hermínio Bello de Carvalho)

03- Flor do Lodo (Ari Mesquita)

04- A Harmonia das Flores (Pixinguinha/Hermínio Bello de Carvalho)

05- Francesa no Morro (Assis Valente)

06- Palmares (Noel Rosa de Oliveira/Anescarzinho do Salgueiro/Walter Moreira)

Psiquiatra (Élton Medeiros/Zé Keti)

07- Degraus da Vida (Nelson Cavaquinho/César Brasil/Antônio Braga)

Mulher Fingida (Alcebíades Barcelos "Bide"/Cartola)

O Que Será de Mim (Ismael Silva/Nilton Bastos/Francisco Alves)

Que Samba Bom (Geraldo Pereira/Arnaldo Passos)

Só Pra Chatear (Príncipe Pretinho)

08- Dona Maria Devagar (Tradicional)

Clementina, Cadê Você? (Élton Medeiros)

Santa Bárbara (Tradicional)

09- Mulato Calado (Wilson Batista/Marina Batista/Benjamin Batista)

10- Minha Vontade (Chatim)

11- Quem Sabe Um Dia (Paulinho da Viola)

Rosa de Ouro (Élton Medeiros/Paulinho da Viola/Hermínio Bello de Carvalho)


Clique aqui ou nas capas para baixar


sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

AMIGOS DA BLACK MUSIC APRESENTAM: CLAUDINHO DDF- AS VOZES QUE DESPERTAM A PERIFERIA- VOL II - 2021

O rap surgiu aqui no Brasil como uma verdadeira forma de protesto, falando de temas importantes como a violência policial, habitação, educação, saúde, a falta de renda dos trabalhadores, entre outros assuntos. Pena que muitos rappers esquecem sua ideologia, e com o passar dos anos mudam tudo, perdendo inclusive a sua identidade, e mudando suas atitudes. Felizmente muitas vozes ainda cantam e mandam o seu recado, embora muitos possam não chegar ao estrelato, são verdadeiros ídolos nas comunidades, e para mim sempre serão os verdadeiros idealizadores, e os grandes poetas das periferias. Nós do grupo de WhatsApp AMIGOS DA BLACK MUSIC temos o grande prazer de dar continuidade a divulgação desses verdadeiros artistas do povo, com o lançamento do CD AMIGOS DA BLACK MUSIC APRESENTAM: CLAUDINHO DDF- AS VOZES QUE DESPERTAM A PERIFERIA- VOL II. Quem puder, clique em um dos anúcios que aparecem abaixo das postagem, ou na lateral do blog, não é preciso comprar nada, mas só o fato de clicar já ajuda o blog a ganhar alguns centavos. Obrigado pela visita, baixe o disco, e curta as músicas. DJ Dejota 

Quem puder, clique em um dos anúcios que aparecem abaixo das postagem, ou na lateral do blog, não é preciso comprar nada, mas só o fato de clicar já ajuda o blog a mater as atividades, trazendo sempre os melhores aquivos. Obrigado pela visita, baixe o CD, e curta as músicas. DJ Dejota.


Músicas deste BOX (02 CDs)


CD I

01-Função Dilokos (Produção DJ PANTERA) - Nós Por Nós

02-Crítica Racional - Meus direitos

03-Liso - Colheita Obrigatória

04-União Racial - Donzela

05-Criminal Rap - Final Dos Tempos

06-Fabinho Rapper - Rap é Vida

07-Crítica Racional - Oração do Jovem Triste

08-Velho Japão - Ninguem Dorme

09-Velho Japão (Partic Adriana)  - Grafite Com Pipoca

10-Criminal Rap - Revival

11-União Racial - Aqueles Momentos

12-Sangue Real - Favela Não Morre

CD II

13-Mano Taz - Bem Que Te Avisei

14-Arsenal Partic. Mc Odé & Marcelo Boss - O Mundão Tá Loko

15-Velho Moura - V de Moura

16-Velho Japão  - Na Picadilha Ou Nos Trapos

17-Adeptos Mc's Part. Lu Afri - Resiliência

18-Fabinho Rapper (Partic. Tn Rapper) - Moto Boy Cachorro Loko

19-Função Dilokos Procução DJ PANTERA, - Tá Embaçado (Partic. SAMUEL MAZEI)

20-Nega Beth - Buxixo

21-Arsenal  - A Luta Continua

22-Dumarcio Partic. Renato 5150 - Entre Becos e Vielas 

23-SuperStar Do Crime - Questão De Sobrevivência

24-MC 2D Feat Fábio Facção  - Seu Trampo, Seu Estudo  (Prod.Vulgo Zero Zika Beats)


Clique aqui ou nas capas para baixar

Conjunto A Voz do Morro- Os Sambistas - 1968

A Voz do Morro foi um conjunto musical carioca de samba, formado na década de 1960, por Zé Kéti, Paulinho da Viola, Elton Medeiros, Nelson Sargento, Anescarzinho do Salgueiro, Jair do Cavaquinho, Zé Cruz e Oscar Bigode.

Fundado em 1965 por Zé Kéti, o Voz do Morro foi uma das primeiras oportunidades que os sambistas de morro tiveram para gravar suas próprias composições - muitos até então inéditas - sem intermediários. O grupo foi formado com alguns integrantes do musical "Rosa de Ouro", montado por Kléber Santos e Hermínio Bello de Carvalho no Teatro Jovem do Rio de Janeiro, mas a idéia de se apresentarem profissionalmente surgiu no Zicartola. Fonte Wikipédia

Quem puder, clique em um dos anúcios que aparecem abaixo das postagem, ou na lateral do blog, não é preciso comprar nada, mas só o fato de clicar já ajuda o blog a mater as atividades, trazendo sempre os melhores aquivos. Obrigado pela visita, baixe o CD, e curta as músicas. DJ Dejota


Músicas deste CD

01 Cuidado (Marreta, Nelson Sargento)

02 A voz do morro (Zé Keti)

03 Tiradentes (Décio Carlos, Arnaldo Ferraz, Estanislau Silva)

04 400 anos de favela (Zé Keti)

05 Exaltação à Mangueira (Eneias Silva, A. A. da Costa)

06 Tanta tristeza (Élton Medeiros, Kleber Santos)

07 Meu barracão de zinco (Jair Costa, Jamelão)

08 Sinhá não disse (Paulinho da Viola)

09 Carnaval que passou (Anescar)

10 Exaltação à Madureira (Poliba, Noca, Oscar Bigode)

11 Aventureira (Poliba, Noca, José Cruz)

12 Só eu sei (Marreta, Nelson Sargento)

13 Tarde demais (Jair Costa, Alcides Lopes)

14 Noite linda (Jair Costa)

15 Meus dias são de sol (Anescar)


Clique aqui ou nas capas para baixar

Quem Samba Fica- 1971

Para os amantes do mais puro e verdadeiro samba, esse disco é uma verdadeira raridade. Estou postando aqui, para os amantes da boa música assim como eu, possam ouvir clássicos do samba.

Mantendo o compromisso do blog, não é preciso pagar nada para baixar esse disco, ele é do meu arquivo pessoal. 

Quem puder, clique em um dos anúcios que aparecem abaixo das postagem, ou na lateral do blog, não é preciso comprar nada, mas só o fato de clicar já ajuda o blog a mater as atividades, trazendo sempre os melhores aquivos. Obrigado pela visita, baixe o CD, e curta as músicas. DJ Dejota.

Músicas deste CD

01 João Nogueira– Mulher Valente É Minha Mãe

02 Baianinho– Batuquegê Prá Rosalina

03 Roberto Ribeiro– Vem Raiando O Dia

04 Aniceto Do Império– Dora

05 Haroldo Melodia– Samba Do Bêco / Samba Da Gafieira

06 Nadinho da Ilha– Caminhante Solitário

07 Nadinho da Ilha– Lapa

08 João Nogueira– O Homem De Um Braço Só

09 Roberto Ribeiro– Eu, Avenida E Você

10 Edalmo Da Mocidade Independente– Amélia Negra

11 Haroldo Melodia– Vou Brigar Com Ela

12 Mario Pereira– Poeira Do Caminho


quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

Grupo Favela- Os três discos no mesmo arquivo

Primeiramente quero agrdescer aos meus parceiros do grupo de WhatsApp AMIGOS DA BLACK MUSIC, ARNALDO KING, e BLACK FARIAS que cederam os dois albúns para essa postagem, meu mano Arnaldo cedeu o albúm "Grupo Favela & Genaro (1983)" e meu mano Black Farias cedeu o albúm "Grupo Favela vol 3", completando assim esse arquivo com esses três discos raros. Obrigado parceiros, pelo apoio e amizade.

01-Grupo Favela-Mel e Mamão com Açúcar 1982

01 Mel e Mamão com Açúcar
02 Tragédia no Fundo do Mar
03 Fraqueza
04 Tudo Menos Amor
05 Saudades e Flores
06 Meu Sapato Já Furou
07 Tiê-Tiê
08 Malandro é Malandro Mesmo
09 Maria das Dores
10 Menino Deus

02- Grupo Favela & Genaro (1983)
01- Conto de Areia
02 - Patrão, prenda seu gado
03 - Nega do Peito
04 - Sete Domingos
 05 - Castigo da Nêga
06 - Calango vascaíno
07 - Canta, canta minha gente
08 - Divinhadalho
09 - Ilusão de pobre
10 - Silêncio da madrugada

03- Grupo Favela vol 3

01. Paletó no Nego
02 Eu Queria Sonhar
03 Feitiço no Sapo
04 De Nada Para o Nada
05 Eu Vou Embora
06 Partideiro
07 A Cartomante
08 Não Sei Porque
09 Trem Triste
10 Se Ela Partir

terça-feira, 23 de fevereiro de 2021

Kool Rock Jay And Dj Slice ‎- Tales From The Dope Side-1990

Um pouquinho de história

Em 1990, a Jive era uma marca em que um fã de rap podia confiar, e a lista da gravadora incluía Whodini, Kool Moe Dee, Boogie Down Productions, Schoolly D - e Too $ hort. O último vem invariavelmente à mente quando ouve Kool Rock Jay, e isso sem ser tratado com qualquer 'história bizarra' de qualquer tipo. Além de agradecer à cidade de Oakland no encarte de "Tales From the Dope Side", Kool Rock Jay diz explicitamente que ele é da "cidade de Oakland" e se refere a Too $ hort como seu parceiro. O promotor de Oakland, Lionel Bea (Bay Area Productions), que agendou os primeiros shows de $ hort, recebe até crédito de produtor executivo.

No entanto, tanto o New York Times quanto o jornalista da Bay Area Davey D localizaram a dupla em Fresno. Há definitivamente uma conexão com Fresno, já que não apenas o álbum foi parcialmente gravado lá, mas os dois faziam parte do eletro outfit Matrix, que assinou com a Jam City Records de Fresno (que também estava de alguma forma envolvida em "Tales From the Dope Side "). De onde quer que eles tenham vindo, Kool Rock Jay e DJ Slice selaram sua parceria já em 1986 com o single "Slice it Up" b / w "Check it Out". Após a temporada com o Matrix, eles estavam de volta a uma dupla, lançando um segundo single, "It's About Time", em 88 independentemente, antes de fechar o contrato com a Jive e lançar o single principal "Notorious" no ano seguinte. "Notorious" foi uma faixa relativamente difícil, abrindo com uma linha de baixo de sintetizador lenta e sinistra e DJ Slice cortando LL Cool J cantando "I'm notorious!" Assim que o rap começa, tons altos e em cascata são ouvidos enquanto Kool Rock Jay vai para a guerra com um arsenal bastante comum de raps de batalha.


Músicas deste CD


 01 The Dope Interlude

02 It's A Black Thing

03 Too High

04 Easy As 1, 2, 3

05 Servin' Em Well (Feat. Mac-C)

06 Jay And The Boys

07 Notorious

08 Suckers To The Side

09 Tales From The Dope Side

10 Break Before You're Broke On

11 All About Money

12 Notorious (Power Mix) bonus 1

13 Kool Rockin' With Jay- bonus 2


Clique aqui ou nas capas ppara baixar

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021

Flavor Unit MC's - Roll Wit Tha Flava - 1993

The Flavor Unit é uma equipe de MCs e DJs da cidade de Nova York e do norte de Nova Jersey . Agora é conhecido como Unit. A versão original da equipe era centrada no produtor 45 King. Foram as conexões de Mark com as personalidades do rádio DJ Red Alert e DJ Chuck Chillout que inicialmente chamaram a atenção da equipe, mas os membros originais também tinham habilidades formidáveis ​​de rima e escreveram letras sensatas. O 45 King acabou caindo em sério abuso de drogas e Queen Latifah assumiu o nome; tornou-se sua organização guarda-chuva. O Flavor Unit Management é administrado por Latifah, um dos membros originais da Flavor Unit, e Shakim Compere. Os clientes de gerenciamento anteriores eram Monica , OutKast , Faith Evans , Total , SWV , Almighty RSO (um grupo com Ray Dog, mais conhecido hoje como Benzino ), Groove Theory, Monifah, Gina Thompson, LL Cool J, Zhané, Donell Jones e Naughty by Nature. Fonte Wikipédia


Músicas deste CD


01. (Intro To Queen Latifah)

02. Queen Latifah - Bring The Flava, La

03. The Flavor Unit MCs - Roll Wit Tha Flava

04. (Intro To D. Nice)

05. D. Nice - Uuh

06. (Intro To Bigga Sistas)

07. Bigga Sistas - Sounds Of Fattness

08. (Intro To Leshaun)

09. Leshaun featuring Cee Uv Da Blackmarket - Gimme Head

10. The Almighty R.S.O. - Badd Boyz

11. Brooklyn Assault Team - On The Bone Again

12. (Intro To Freddie Foxxx)

13. Freddie Foxxx - Rough Enough

14. (Intro To Latee)

15. Latee - Let Yourself Go

16. Nikki D. - Freak Out

17. Rottin Razkals - Enough Is Enough

18. (Intro To Apache)

19. Apache - Keep It Real

20. Groove Garden - Since You Asked

21. Naughty By Nature - Bring It On

22. The Flavor Unit MCs - Roll Wit Tha Flava (Extended Version)

23. Jhané - Hey Mr. D.J.

24. (Outro)


Clique aqui ou nas capas para baixar

EPMD - Strictly Business- 1988

Strictly Business é o álbum de estréia do grupo de hip hop norte-americano EPMD, lançado em 7 de Junho de 1988 pela Fresh/Sleeping Bag Records através do mundo e BCM Records na Alemanha. O álbum chegou ao número 80 da Billboard 200 logo após o lançamento, e ganhou a certificação de ouro da RIAA em 9 de Novembro de 1988, cinco meses após o lançamento. Em adição, Strictly Business recebeu muitas críticas positivas desde o lançamento e é visto como uma obra-prima do hip hop. Fonte Wikipédia


O álbum é conhecido pelas suas canções de festas e pelo uso pesado de samples de funk e rock em sua produção. Não há rappers ou produtores convidados no álbum exceto por DJ K La Boss. O álbum é dividido faixa por faixa pelo grupo no livro de Brian Coleman, Check the Technique.


Músicas deste CD


01 Strictly Business

02 I'm Housin'

03 Let The Funk Flow

04 You Gots To Chill

05 It's My Thing

06 You're A Customer

07 The Steve Martin

08 Get Off The Bandwagon

09 D.J. K La Boss

10 Jane


Clique aqui ou nas capas para baixar

sábado, 20 de fevereiro de 2021

Chuck D - The Autobiography Of Mistachuck (1996)

Carlton Douglas Ridenhour (Nova Iorque, 1 de agosto de 1960), mais conhecido pelo seu nome artístico Chuck D, é um rapper, escritor e produtor musical estadunidense. Chuck foi um dos principais criadores e desenvolvedores da cultura hip hop a partir da metade da década de 80 e é o vocalista do grupo Public Enemy.


Músicas deste CD


01. Mistachuck

02. No

03. Generation Wrekkked

04. Niggativity...Do I Dare Disturb the Universe?

05. Free Big Willie

06. Horizontal Heroin

07. Talk Show Created the Fool

08. Underdog

09. But Can You Kill the Nigga in You?

10.  Endonesia

11. The Pride

12. Paid


Clique aqui ou nas capsa  para baixar

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021

Betty Wright - Romatic Ballads- 2021

Bessie Regina Norris (Miami, 21 de dezembro de 1953 - Ibid. 10 de maio de 2020), mais conhecida por seu nome artístico Betty Wright, foi uma cantora e compositora norte-americana de soul e R&B, que ganhou fama na década de 1970, com sucessos como "Clean Up Woman", "Tonight Is the Night" e "No Pain No Gain". Ela também foi proeminente em relação ao uso de registro de apito. 

Wright morreu em 10 de maio de 2020, de câncer, em sua casa em Miami. Ela tinha 66 anos e as notícias de sua morte foram anunciadas pela primeira vez por sua sobrinha. Dois dias antes, sua amiga, a cantora Chaka Khan fez um apelo no Twitter, dizendo: "Chamando todos os meus #PrayWarriors. Minha amada irmã, Betty Wright @MsBettyWright, agora precisa de todas as suas orações". Wikipédia

O que eu posso dizer de Betty Wright, simplemente que é a maior cantora que ja tive o grande prazer de ver cantando no Palmeiras, embora hoje em dia tenha pessoas que consideram a Beyoncé, ou até mesmo Lady Gaga, como a maior cantora de todos os tempos, esquecendo inclusive de nomes como Whitney Houston, eu considero, sem medo de errar, Betty Wright como a maior, basta ouvir canções como "Thank You for the Many Things You've Done", ou "No Pain, (No Gain)", ou ainda "My Love Is", isso sem falar em ritmos mais dançantes como "Clean up Woman" para se ter certeza do que estou falando. Aqui minha pequena homenagem a essa grande cantora da soul music, um BOX com 41 músicas românticas de Betty Wright, espero que todos gostem. DJ Dejota


Músicas deste BOX


01- Can't Stop My Heart Soul And

02- Ain't No Sunshine

03- Let's Not Rush Down the Road of Love

04- Let Me Go Down

05- You Can't See for Lookin'

06- My Love Is

07- Thank You for the Many Things You've Done

08- Indivisible

09- I Come to You

10- One Bad Habit

11- I Promise You

12- The Sun Don't Shine

13- After the Pain

14- No Pain, (No Gain)

15- Quiet Storm

16- From Pain to Joy

17- Valley of Lonely

18- Won't Be Long Now

19- Help Is on the Way

20- Search 4 Love Is Over

21- Passion & Compassion

22- No Good But So Good

23- Help Is on the Way (Girlfriends)

24- For Love Alone

25- Love Of My Life

26- Only You

27- Distant Lover

28-Makin' It

29- I Found Love

30- Please Tell Me Yes

31- Why We Do (What We Do)

32- U-R-A-Ho (And You Don't Know)

33- Second Time in Love

34- You Still Depend on Me

35- Somebody's Only Love

36- Milk and Honey

37- Church Is Out

38- Something's Going On

39- Tight Ta' Death

40- You Can't See for Lookin' (Live)

41- Who'll Be the Fool

(OBS: embora eu tenha colocado aqui apenas as capas do CD 1, os outros dois CD's tem suas próprias capas)


Clique aqui ou nas capas para baixar

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021

Xangô da Mangueira - 1973 - O rei do partido alto

Mais um grande cantor do verdadeiro samba raiz, para quem gosta de um bom samba de roda.

Xangô da Mangueira iniciou-se no samba na escola de samba União de Rocha Miranda, transferindo-se posteriormente para a Portela, onde foi discípulo do célebre Paulo da Portela. Após a saída de Paulo da escola, no início da década de 1940, Xangô seguiu Paulo por um tempo na Lira do Amor, porém, como também admirava a Mangueira, pediu permissão a seu mestre, sendo por ele indicado a diretoria mangueirense, onde Paulo da Portela também possuía grandes amigos. Na Mangueira, Xangô permaneceu pelo resto da vida, notabilizando-se como diretor de harmonia, cargo que ocupou por várias décadas. Foi também o intérprete oficial do samba da escola até 1951, sendo antecessor de Jamelão. Na década de 1970, gravou quatro LPs pela gravadora Tapecar e desenvolveu extensa atividade artística, apresentando-se como cantor em todo o Brasil e no exterior. Como compositor, teve diversas obras gravadas por cantores como Clara Nunes e Roberto Ribeiro.

Faleceu aos 85 anos, no Hospital do Irajá, vítima de problemas cardíacos sendo velado e enterrado no cemitério do Cajú.


Músicas deste CD


01 Moro na roça

02 Quando vim de Minas

03 Se o pagode é partido

04 Cheguei no samba

05 Que samba é esse

06 Se tudo correr bem

07 Pequenininho

08 Recordação de um batuqueiro

09 Quem não te conhece é que te compra (Tiro no escuro)

10 Arigó

11 Diretor de Harmonia

12 Olha o Partido


Clique aqui ou nas capas para baixar

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2021

Dom Salvador e Abolição - Som, Sangue e Raça 1971

Dom Salvador, nome artístico de Salvador da Silva Filho (Rio Claro, 12 de setembro de 1938), é um instrumentista, arranjador e compositor brasileiro. Com formação clássica no piano, participou da efervescência musical carioca após a emergência da bossa nova que tinha como ponto de encontro o Beco das Garrafas e buscava juntar o samba brasileiro com o jazz americano, ficando conhecido como samba jazz. Nesta época, teve diversos conjuntos que lançaram discos significativos do movimento, bem como acompanhou diversos artistas em turnês pelos Estados Unidos e Europa, chegando a gravar na Alemanha. Entretanto, cansado da vida de turnês após casar-se e ter filhos, passa a desenvolver trabalho como arranjador e músico de estúdio em gravações de grandes nomes da emergente MPB. No final daquela década, após contato com gravações americanas de funk e soul, lança o álbum seminal Dom Salvador, unindo os novos ritmos americanos com o samba brasileiro. Em seguida, monta o grupo Abolição que defende a música "Abolição 1860-1960" no V Festival Internacional da Canção - conseguindo o 5º lugar na etapa nacional - e lança o álbum Som, Sangue e Raça, em 1971.

Desiludido com a carreira de músico no Brasil, o pianista muda-se para os Estados Unidos, onde toca com alguns grandes nomes em turnês e gravações, antes de se estabelecer como pianista em um bar no Brooklyn, em 1977. A partir desta época, desenvolve gravações esporádicas, experimentando renovada atenção a partir da década de 1990 com o aparecimento de um movimento de resgate dos artistas da música negra brasileira. Assim, seus lançamentos tornam-se um pouco menos esparsos, embora ainda tendo de fazer uso de pequenas gravadoras - como a Biscoito Fino - ou de produções independentes. Seu último disco é Live at Zankel Hall in Carnegie Hall, lançado em 2018 pela gravadora Universal Music. Fonte Wikipédia


Músicas deste CD


01 Uma Vida

02 Guanabara

03 Hei! Você

04 Som, Sangue e Raça

05 Tema pro Gaguinho

06 O Rio

07 Evo

08 Number One

09 Folia de Reis

10 Moeda, Reza e Cor

11 Samba do Malandrinho

13 Tio Macrô


Clique aqui ou nas capa para baixar

Dancing to the sound of Afrika Bambaataa

Afrika Bambaataa, nome artístico de Lance Taylor (Bronx, Nova Iorque, 19 de abril de 1957) é um DJ, cantor, compositor, produtor e ativista estadunidense conhecido por ser líder da banda Zulu Nation. Além de ter inovado os paradigmas do electro, também é reconhecido como sendo o padrinho do Hip Hop por ter sido o primeiro a utilizar o termo e dar as bases técnica e artística para o "Hip Hop" formando assim uma nova cultura que se expandia nos bairros negros e latinos da cidade de Nova Iorque e que congregava DJs, MCs, Writers (grafiteiros), B.boys e B.Girls (dançarinos de Breaking). Fonte Wikipédia

Para mim, Afrika Bambaataa é a verdadeira junção do FUNK com o HIP HOP, e o RAP, não dá para se falar nesses ritmos, sem lembrar o nome de AFRIKA BAMBAATAA. Chamo a atenção de todos para a faixa 15- Something He Can Feel ft. Nona Hendryx, Boy George & Funk Queens, muitos vão se surpreender. DJ Dejota


Música destes CD's (é um CD duplo)

01 Zouk Your Body ft. Yellowman, George Clinton, William Bootsy Collins, Sly Dunbar & Robbie Shakespeare

02 Reckless ft. UB40, Malibu & Lizzie Tear

03 Save The World

04 Zulu War Chant

05 Can't Give You Up

06 Funk You

07 Steppin' Hard Zulu Nation

08 Bionic Kats

09 Shout It Out ft. Slug-Go, Harmony & Kid Dust

10 In A Minute

11 Electro Funk Express

12 Unity Part 1 (The Third Coming) ft. James Brown

13  Death Mix Live (Part 1)

14 Zulu War Chant - (The Funky Remix)

15 Something He Can Feel ft. Nona Hendryx, Boy George & Funk Queens


Clique aqui ou nas capa para baixar

terça-feira, 16 de fevereiro de 2021

As Grandes Damas do Samba- 2021

Mais do que justa, uma merecida homenagem paras essas grandes rainhas do samba, sem duvida não dá para falar de samba, sem citar CLEMENTINA DE JESUS, DONA IVONE LARA, e  JOVELINA PÉROLA NEGRA. Nessa coletânea eu procurei colocar seis grandes sucessos de cada uma, na verdade, de CLEMENTINA DE JESUS são cinco canções, e uma justa homenagem na faixa 18, que conta com a participação de diversos intérpretes. DJ Dejota


Músicas deste CD


01- Clementina de Jesus - Na hora da Sede

02- Jovelina Pérola Negra - Sorriso Aberto

03- Dona Yvonne Lara - Tiê

04- Clementina De Jesus e Martinho da Vila - Assim não, Zambi

05- Jovelina Pérola Negra - Luz do Repente

06- Dona Ivone Lara - Sorriso Negro

07- Clementina de Jesu e Dona Ivone Lara - Sonho Meu

08- Jovelina Pérola Negra - No Mesmo Manto

09- Dona Ivone Lara - Alguém Me Avisou

10- Clementina de Jesus - Tantas Você Fez

11- Jovelina Pérola Negra - O Dia Se Zangou

12- Dona Ivone Lara ft Adriana Ribeiro- Acreditar

13- Clementina de Jesus ft Albaléria  - Embala Eu

14- Jovelina Pérola Negra - Bagaço da Laranja

15- Dona Ivone Lara ft Martinho da Vila- Não chora Neném

16- Clementina de Jesus - Caxinguelê das Crianças

17- Jovelina Pérola Negra - Feirinha da Pavuna

18- Vários intérpretes - Sonho Meu (entre eles- Dona Ivone Lara, Zeca Pagodinho, Diogo Nogueira, Martinho da Vila, Maria Bethânea, Arlindo Cruz, Caetano Veloso, etc)


Clique aqui ou nas capas para baixar

Minha Seleção de Almir Guineto

Almir de Souza Serra (Rio de Janeiro, 12 de julho de 1946 — Rio de Janeiro, 5 de maio de 2017) foi um sambista e compositor brasileiro. Um dos fundadores do Fundo de Quintal, Almir Guineto foi um dos maiores representantes do samba de raiz. Além disso, Almir inovou o samba ao introduzir o banjo adaptado com um braço de cavaquinho (o banjo-cavaquinho). Destacou-se também pelo modo extremamente original de executar o instrumento, afinando-o à moda das últimas cordas do violão e palhetando-as velozmente, fazendo-as tremular conforme o suingue do repique de mão e do tantã. Entre seus principais sucessos, destacavam-se "Caxambu", "Conselho", "Jibóia", "Lama nas Ruas", "Mel na Boca" e "Coisinha do Pai".

O Guineto de seu apelido é uma derivação da palavra magnata, que evoluiu para magneto e, então, Guineto. Fonte Wikipédia

Eu particulamente vejo Almir Guineto como um dos grandes nomes do samba, um cantor e compositor inovador, que fez história ao introduzir o banjo modificado no samba, Almir Guineto para mim está no mesmo nivel de Martinho da Vila. DJ Dejota


Músicas destes CD's (CD duplo)


01- Jiboia

02- Insensato Destino

03- Conselho

04- Terezinha

05- A Vaca

06- Lama Nas Ruas

07- Meiguice Descarada

08- Quem Me Guia

09- Caxambu

10- Dalila,Cadê Guara

11- Mel Na Boca

12- Mulher de Malandro

13-O Destino de Maria

14- Pranto Que Chorei

15- Rendicão

16- Cenario

17- Mensagem

18- Pele de Chocolate

19- Coroné Endoidou

20- Não Fique Assim


Clique aqui ou nas capas para baixar

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2021

Aniceto do Império - Partido Alto Nota 10- 1984 (originalmente postado em 2012)

Essa é mais uma postagem de 2012 que também foi recuperada, e tem um novo link. 

Carioca do Estácio, Aniceto de Menezes e Silva Junior começou a freqüentar os ambientes do samba, jongo e partido alto aos 16 anos, tendo travado amizade com Paulo da Portela, Xangô da Mangueira, Alberto Lonato e outros bambas. Freqüentador da agremiação Prazer da Serrinha, foi fundador da escola de samba Império Serrano, em 1947, ao lado de Antonio Fuleiro, Molequinho, Mocorongo e outros. Entretanto, nunca fez parte da Ala dos Compositores da escola, por não gostar de compor sambas-enredo. Destacou-se no estilo partido-alto, firmando-se como um dos grandes partideiros da história, sem economizar nas construções gramaticais rebuscadas e no vocabulário pouco usual. Por causa deste talento, era o orador oficial da escola. Grande conhecedor do jongo, gênero disseminado na região da Serrinha, dominava a ciência de outras manifestações musicais-religiosas da tradição africana, como o caxambu. Em 1977 gravou o disco "O Partido Alto de Aniceto & Campolino" (MIS) ao lado de Nilton Campolino, produzido por Elton Medeiros, com nove composições de sua autoria. Considerado pelos sambistas como um dos últimos mestres do partido-alto de raiz, tinha mais de 600 composições catalogadas, mas poucas foram gravadas. Seu único disco individual saiu em 1984 pela CID, "Partido Alto Nota 10", com participações de sambistas famosos como Martinho da Vila, Dona Ivone Lara, Roberto Ribeiro, João Nogueira, Zezé Motta e Clementina de Jesus. Já idoso e reverenciado como referência para os mais jovens, apresentava-se ao lado de outros representantes do partido-alto, como Wilson Moreira e Nei Lopes. Fonte de pesquisa "Cliquemusic"

Este é o 2º disco de Anicéto.


Músicas deste disco


01 - Partido alto (Aniceto do Império)

02 - Desaforo (Aniceto do Império)

03 - É fogo (Aniceto do Império)

04 - Chega devagar (Aniceto do Império)

05 - Difícil (Aniceto do Império)

06 - Ginga de Yayá (Aniceto do Império)

07 - Quando louvar partideiro (Aniceto do Império)

08 - Entrevista (Aniceto do Império)

09 - És partideiro? (Aniceto do Império)

10 - Quem é teu pai (Aniceto do Império)

11 - Mulher na presidência (Aniceto do Império)

12 - Dona Maria Luiza (Aniceto do Império) 


Clique aqui ou nas capas para baixar

sábado, 13 de fevereiro de 2021

Anicéto- O partido alto de Aniceto e Campolino- 1977

 

Mais um disco que foi orinalmente postado em 2012,  e que também tinha sido perdido. agora postado com novo link


Aniceto de Menezes e Silva Júnior o Aniceto do Império (Rio de Janeiro, 11 de março de 1912 — Rio de Janeiro, 19 de julho de 1993) foi um dos fundadores da escola de samba Império Serrano.

Sua data de nascimento oficial é 22 de março, devido à demora de seus pais, o estofador e lustrador Aniceto de Menezes e Silva e a dona-de-casa Crispiana Braga de Menezes da Silva, em registrá-lo.

Aniceto de Menezes e Silva Jr nasceu no bairro do Estácio.
Devido à sua facilidade de expressão, seus professores consideravam que ele prejudicava as aulas, devido a suas intervenções acima da média das de seus colegas. Deixou os estudos em 1926, antes de completar o primário. No Império Serrano, onde teve o cargo de orador oficial da escola.
Aniceto dividia sua vida entre o samba e o Cais do Porto, onde era estivador e o líder do Sindicato dos Arrumadores. O Cais do Porto era uma área de malandragem, onde vários sambistas trabalhavam, por serem de origem negra ou pobre. Aniceto se reunia com os outros sambistas, depois do horário do trabalho, para cantar sambas batucadas ou duros, sempre terminando num gostoso partido alto, com o destaque do próprio, que mandava seus versos de improviso, que eram admirados por todos os presentes.
Pouco antes de morrer, Aniceto foi entrevistado para o documentário Fio da Memória. Tratava-se da sua última performance, pois quando lhe perguntaram sobre o seu estilo de samba baseado em improviso (Partido Alto), começou a compor versos em ritmo de entrevista, encabulando o repórter, que por sua vez, preferiu mudar de assunto. Foi-lhe indagado sobre sua doença - diabetes -, ele deixou entender que não se lamentava, e até deu graças a Deus por isso. Como justificativa finalizou dizendo: "Ele (Deus) sabe o que faz e eu não sei o que quero".
Já cego, faleceu em 1993.


Músicas deste disco

01- Segredos de Tia Romana
02- Quem tem, tem
03- Um bocadinho só
04- Mocinho Cantador
05- Na Volta do Novelo
06- Zé Ciumento
07- Raize da África
08- Indesejável Mulher
09- Atrox Cativeiro
10- Maria Sara
11- João do Rosário
12- Vacilação não dá pé

Clementina de Jesus -1979- Clementina e Convidados (arquivo postado anteriormente em 2012)

Essa é mais uma postagem do ano de 2012, quando criei o blog, que foi recuperda. A contra capa, e o CD são criações minhas.

Essa é mais um postagem de 2012 que foi recuperada, e postada novamente
Para quem gosta de um bom samba de roda, este é um verdadeiro achado.


Vamos conhecer um pouco mais:

Clementina de Jesus da Silva (Valença, 7 de fevereiro de 1901 — Rio de Janeiro, 19 de julho de 1987) foi uma cantora brasileira de samba. Também era conhecida como Tina ou Quelé.
Nascida na comunidade do Carambita, bairro da periferia de Valença, no sul do Rio de Janeiro, mudou-se com a família para a capital aos oito anos de idade, radicando-se no bairro de Osvaldo Cruz. Lá acompanhou de perto o surgimento e desenvolvimento da escola de samba Portela, frequentando desde cedo as rodas de samba da região. Em 1940 casou-se e mudou para a Mangueira. Trabalhou como doméstica por mais de 20 anos, até ser "descoberta" pelo compositor Hermínio Bello de Carvalho em 1963, que a levou para participar do show "Rosa de Ouro", que rodou algumas das capitais mais importantes do Brasil e virou disco pela Odeon, incluindo, entre outros, o jongo "Benguelê". Devolta da Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro, participava de festas das igrejas da Penha e de São Jorge, cantando canções de romaria. Considerada rainha do partido alto, com seu timbre de voz inconfundível, foi homenageada por Elton Medeiros com o partido "Clementina, Cadê Você?" e foi cantada por Clara Nunes com o "P.C.J, Partido Clementina de Jesus", em 1977, de autoria do compositor da Portela Candeia.

Músicas deste disco

02 - Embala eu (Albaléria)
03 - Cocorocó (Paulo da Portela)
04 - Olhos de azeviche (Jaguarão)
05 - Boca de sapo (Aldir Blanc - João Bosco)
06 - Laçador (Catoni - Clementina de Jesus)
07 - Assim não, Zambi (Martinho da Vila)
08 - Na hora da sede (Luiz Américo - João de Barro)
09 - Sonho meu (Ivone Lara - Délcio Carvalho)
10 - Torresmo à milanesa (Adoniran Barbosa - Carlinhos Vergueiro)
11 - Caxinguelê das crianças (José Ventura)
12 - Papel reclame (Nelson Sargento)